ARES - Ares Carboxiterapia

O Ares é um equipamento microcomputadorizado para carboxiterapia, utilizado na medicina estética e fisioterapia dermatofuncional. É indicado para rejuvenescimento facial, celulite, gordura localizada facial e corporal, flacidez de pele corporal e facial, estrias, pré e pós-operatório de lipoaspiração, olheiras, cicatrização pós-cirurgias plásticas e estéticas, alopecia, psoríase e esclerose de telangiectasias.

A terapia consiste em aplicações subcutâneas de concentrações controladas de gás carbônico medicinal – dióxido de carbono/CO2 – padrão-grau USP (United States Pharmacopeia). O CO2 é atóxico e introduzido através de aplicação subcutânea com agulhas 30 G ½ (insulina).

O CO2 é previamente aquecido através um dispositivo do ARES, o que diminui o desconforto do paciente e aumenta sua aderência ao tratamento, potencializando os resultados elevando o fluxo sanguíneo local e da oferta de O2. É uma terapia rápida, pouco desconfortável e muito eficiente para a maioria dos pacientes.

Os controles do ARES são operados via teclado de toque. Todas as informações referentes aos parâmetros escolhidos pelo terapeuta serão mostradas em visor de cristal líquido alfanumérico.

Acompanham o Aparelho
1 Cabo de força destacável.
1 Pedal para acionamento remoto.
1 Mangueira conexão do cilindro de gás ao equipamento.
1 Gabinete.
1 CD com as instruções de uso.
10 Equipos descartáveis para aplicação e infusão do gás via subcutâneo.
O uso de cabos, eletrodos e outros acessórios diferentes daqueles especificados acima, pode resultar em aumento das emissões ou diminuição da imunidade do equipamento. O aparelho e suas características poderão sofrer alterações sem prévio aviso.

Características Técnicas
Bivolt 127 e 220 volts | 50/60 Hertz.
Dimensões: 265X275X115 (L x P x A).
Peso aproximado, sem acessórios: 1,4 quilos.

Volume (mL) Velocidade do Fluxo (mL/min)
Livre 5
5 10
10 20
20 30
30 40
40 50
50 60
60 70
70 80
80 90
90 100
100 110
110 120
120 130
130 140
140 150
170 180
180 190
190 200
200 ---

Responsabilidade de Uso
O uso de equipamentos eletromédicos se restringe a um médico ou sob sua ordem a fisioterapeutas e biomédicos ou ainda outros profissionais da saúde devidamente licenciados.

O profissional devidamente licenciado será responsável pelo uso e operação do equipamento. A IBRAMED não faz representações referentes a leis e regulamentações federais, estaduais ou locais que possam se aplicar ao uso e operação de qualquer equipamento eletromédico. O médico ou sob sua ordem ou o profissional da área da saúde licenciado assume total e pleno compromisso em contatar as agências certificadoras locais para determinar qualquer credencial requerida por lei para o uso clínico e operação deste equipamento. Informações adicionais sobre uso e contraindicações da terapia podem ser encontradas no manual do aparelho, mas não dispensam a orientação de um profissional.

Sobre Carboxiterapia
Sobre CarboxiterapiaA carboxiterapia nasceu na França em 1932 e se refere a administração do gás carbônico (CO2) com propostas terapêuticas. Inicialmente o tratamento era realizado via percutânea, mediante os chamados banhos de água carbonada aquecida, ou seja, a aplicação de água saturada em CO2 diretamente sobre a pele dos pacientes. A técnica era utilizada para tratamentos de arteriopatias e úlceras e os resultados obtidos encorajaram novos estudos, provocando a ampliação das indicações para outros tratamentos. Após o desenvolvimento de novas tecnologias, a aplicação deixou de ser tópica e o CO2 passou a ser injetado diretamente no tecido subcutâneo, que garante resultados mais rápidos e melhores.
Evidências histológicas dos efeitos da infiltração de gás CO2 no tecido adiposo subcutâneo sugerem possíveis efeitos lipolíticos, assim como do estímulo a remodelagem tecidual. Após tratamento com carboxiterapia, devido ao aumento de fluxo sanguíneo, as regiões com celulite apresentam melhora da nutrição tecidual e drenagem mais eficiente, que resulta numa pele com aspecto mais liso e saudável. A carboxiterapia tem forte potencial para o tratamento de rugas, flacidez de pele e olheiras, assim como apresenta bons resultados nos tratamentos de estrias. O CO2 empregado é o medicinal (99,9% de pureza) e idêntico ao produzido normalmente pelo metabolismo celular. É atóxico e não embólico.

Indicações e efeitos
Indicações e efeitosFacial
Rejuvenescimento facial: flacidez, rugas, linhas e sulcos.Redução de papadas.Olheiras: clareamento e melhora da textura da pele.Cicatrizes de acne:para melhora das depressões das cicatrizes.Pós-operatório de cirurgia plástica: favorece a cicatrização.Corporal
Celulite (Lipodistrofia ginóide).Gordura localizada corporal: redução de medidas.Estrias: através da infusão do gás ao longo da estria.Flacidez de pele.Pós-operatório de cirurgia plástica: favorece a cicatrização.Alopecia – queda de cabelos.Psoríase – doença autoimune que provoca descamação intensa da pele.Efeitos terapêuticos
Os efeitos terapêuticos da carboxiterapia se baseiam em respostas fisiológicas naturais do organismo e seguem listadas abaixo.
O Efeito Bohr: tanto o O2 quanto o CO2 utilizam como meio de transporte a hemoglobina, proteína contida nos glóbulos vermelhos do sangue. A afinidade entre a hemoglobina e o oxigênio depende de fatores como a concentração CO2 e o pH. Pequenos aumentos na concentração de CO2 diminuem o pH local e estimulam a liberação e oferta de O2 aos tecidos.
Aumento do fluxo sanguíneo local: o aumento da concentração de CO2 e a diminuição do pH local relaxam fortemente os anéis de músculos lisos que envolvem as arteríolas e controlam o volume de sangue oferecidos aos tecidos. Com o relaxamento destes ocorre um aumento de fluxo sanguíneo local que gera a melhora da oferta de nutrientes e a remoção dos resíduos e toxinas locais. A temperatura local se eleva numa ordem que varia de 2 a 3°C. Além disso a drenagem, tanto sanguínea quanto linfática, é otimizada.
Distensão tecidual: a distensão tecidual provocada no local da aplicação pelo volume de CO2 insuflado ativa uma cascata de sinalização do processo de reparo, regeneração e remodelagem tecidual e causa a ativação dos fibroblastos (células da derme) que produzem novas fibras de colágeno e de elastina.

Dúvidas frequentes
Dúvidas frequentesEm que consiste a carboxiterapia?
Carboxiterapia é um termo recente em estética, mas a administração terapêutica utilizando gás carbônico (CO2) originou-se na França em 1932. O CO2 é um gás atóxico, não embólico e é o mesmo usado em histeroscopias, videolaparoscopias (injetam-se até 6 litros do gás na cavidade abdominal para criar pneumoperitônio) e em exames como arteriografias e ventriculopatias.
Quais são os profissionais que podem operar o ARES?
O ARES foi desenvolvido para ser operado somente por pessoal devidamente treinado em relação ao seu manuseio e suas aplicabilidades clínicas. Entre em contato com seu conselho de classe e se informe.
Conselho Federal de Biomedicina | Normativa: n.º 01/2012
Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional | Parecer Técnico de Dermatofuncional 06/2012
Em quais disfunções a carboxiterapia ARES poderá atuar?
A carboxiterapia ARES poderá ser empregada em tratamentos capilares, faciais e corporais tais como: alopecia, rugas e linhas de expressão (rejuvenescimento), correções após cirurgias plásticas, celulite, gordura localizada, estrias e flacidez de pele.
O ARES é um equipamento seguro?
O ARES é um equipamento confiável e seguro. Possui um software associado a um sensor de precisão que permite total controle dos parâmetros (volume, fluxo, pressão, volume total administrado). A carboxiterapia é um procedimento efetivo, reconhecido pela comunidade científica e deve ser executado por profissionais capacitados e habilitados. Além disso, o paciente deve ser informado sobre o procedimento e as sensações esperadas durante o tratamento.
Quais são os efeitos esperados da carboxiterapia ARES?
A insuflação do CO2 no tecido promove um aumento quase imediato da vascularização, evidente pela hiperemia reacional que a pele apresenta durante o procedimento, acelera a velocidade microcirculatória e intensifica o efeito Bohr (efeito que promove maior liberação de O2 nos tecidos). Estimula também a formação de novos vasos sanguíneos, ativa a drenagem tanto sanguínea quanto linfática e, nos adipócitos, ativa a lipólise.
Quais são as vantagens do método?
O CO2 é amplamente empregado nos tratamentos dermatológicos e estéticos, não eleva a pressão arterial do indivíduo nem causa embolia. Não há restrições quanto a idade do paciente e pode ser utilizado em diversas áreas do corpo. O procedimento de aplicação é fácil e adquire bons resultados. O volume de gás infundido fica abaixo do volume produzido pelo organismo, portanto não interfere no metabolismo normal.
A carboxiterapia ARES é com gás aquecido?
Sim, o ARES possui um dispositivo que aquece o CO2 previamente a insuflação que diminui o desconforto do paciente, aumenta sua aderência ao tratamento, bem como potencializa os resultados, pois o gás frio causa a vasoconstrição, princípio contrário a ação desejada que é a vasodilatação, elevação do fluxo sanguíneo local e da oferta de O2.
Qual é o intervalo ideal entre as sessões?
Depende do tratamento a ser feito. Em alguns casos, como no tratamento da celulite e gordura localizada, o procedimento poderá se repetir de 2 a 3 vezes por semana. Para tratamento de estrias, flacidez e rejuvenescimento deve-se respeitar intervalos relativamente maiores para que haja tempo de obter uma resposta natural do organismo (neocolagênese – produção de novas fibras de colágeno, neoelastogênese – novas fibras de elastina, e reorganização do colágeno).
Quanto ao fluxo de gás oferecido pelo ARES, qual a amplitude?
A carboxiterapia ARES possibilita aplicações de volume por ponto que podem variar de 5 a 200 mL/min e ainda pode ser usado no modo “free”, que é contínuo. A velocidade de fluxo também varia de 5 a 200 mL/min. Essas amplitudes permitem desde aplicações delicadas até tratamentos onde a pressão necessária seja suficiente para vencer barreiras pontuais de fibrose, como na região com celulite.
A carboxierapia ARES pode ser associada a outros tratamentos estéticos?
Para tratamentos de rugas, rejuvenescimento e flacidez cutânea pode ser associada com microcorrentes, radiofrequência Hooke, ao Sonopeel – peeling ultrassônico, com a iontoforese com permeação de dermocosméticos, dentre outros. Para tratamentos de gordura localizada e celulite, pode ser associada a correntes excitomotoras como a corrente Aussie, terapia combinada Heccus e massagem mecânica. No tratamento de estrias é possível a associação com a microdermoabrasão ou a técnica do eletrolifting.